Guarulhos registra 3.694 B.Os de violência contra mulheres

Foto: Filipi Costa

Número é inferior comparado ao mesmo período do ano passado, porém, isso não significa que a incidência de violência diminuiu

Na última sexta-feira (7), a lei Maria da Penha completou 14 anos – foi sancionada em 2006 e tem como objetivo criar mecanismos para coibir a violência doméstica contra as mulheres, que pode ser psicológica, sexual, patrimonial, físicos e moral e punir adequadamente os agressores.  Representa uma grande conquista de apoio às mulheres, no entanto, o índice de violência assola muitas mulheres.  

De janeiro a julho de 2020 foram registrados em delegacias de Guarulhos 3.694 boletins de ocorrência envolvendo situações como homicídio (tentativas e consumados), lesão corporal e maus-tratos, calúnia, difamação, injúria e constrangimento ilegal, ameaça, aliciamento, assédio, instigação ou constrangimento, violação de domicílio ou dano, estupro (tentativa e consumados) e outros crimes contra a dignidade sexual.

O mapa de violência contra mulheres de 2020, divulgado pela Prefeitura de Guarulhos, através da Subsecretaria de Políticas para Mulheres, aponta que de Janeiro a Abril de 2020 foram registrados em Guarulhos 2.197 boletins de ocorrência de violência contra a mulher. No mesmo período em 2019, este número era de 2.604 e, em 2018, 2.720. Mas, a diminuição no número de registros em delegacias do município, não significa, infelizmente, que a incidência de violência diminuiu.

A violência contra mulheres é crime e deve ser denunciada.

Leia também: Sinal Vermelho: Vítimas de violência doméstica poderão fazer denúncia em farmácias

Denuncie, você não está sozinha / Foto: Filipi Costa

Esta queda pode representar um sinal de alerta. “Muitas mulheres estão passando mais tempo em casa, uma convivência forçada pela necessidade de isolamento social. Sendo assim, não conseguem sair para realizar a denúncia ou pedir ajuda para algum conhecido ou órgão responsável”, explica a subsecretária da pasta Jeniffer Cristini . Acredita-se que esses números tenham aumentado durante a pandemia, mas, ainda existem alguns fatores que levam as vítimas a não registrar a ocorrência.

“Muitas vezes existe o medo de denunciar, ou por estarem em um relacionamento de dependência emocional e acreditarem que aquela situação de violência não vai se repetir ou por ter medo de que o agressor possa atentar contra a sua vida quando souber. É uma situação muito complicada e que foi agravada na pandemia, quando as mulheres precisaram ficar em isolamento com o seu companheiro, mas estamos aqui sempre para auxiliar e orientá-las sobre como pedir ajuda”, disse a subsecretária da pasta em uma entrevista para o jornal Guarulhos Hoje.

Bairros mais violentos de Guarulhos

gráfico retirado do Mapa de violência contra mulheres por bairro em GRU

De acordo com o Mapa da Violência Contra as Mulheres na Cidade de Guarulhos, dos mais de três mil boletins registrados no primeiro semestre deste ano, 449 foram no bairro Pimentas, 278 em Bonsucesso. Essas informações são muito importantes para a subsecretaria de políticas para mulheres, desta maneira, podem pensar em ações voltadas para mulheres dessas regiões.

Serviço de acolhimento para mulheres

A prefeitura reforça o apoio para todas as vítimas, as mulheres que tiverem buscando ajuda ou orientação podem entrar em contato com a casa das rosas, margaridas e beths, é um centro referencial às mulheres em Situação de Violência Doméstica. Presta acolhimento, acompanhamento psicossocial e orientação jurídica. Neste sentido, o Centro oferece diversos serviços tendo como objetivo principal resgatar a autoestima das mulheres vítimas de agressões (ou outros tipos de violência) e encaminhá-las para o atendimento necessário para cada caso.

Conheça mais do projeto em: https://www.guarulhos.sp.gov.br/casa-das-rosas-margaridas-e-beths