Emicida e Drik Barbosa criam música ‘Sementes’ para ação contra o trabalho infantil no Brasil

Reprodução: Emicida & Drik Barbosa - Sementes

A música escrita e cantada pelos rappers Emicida e Drik Barbosa traz uma reflexão sobre o cenário atual do trabalho infantil no Brasil

A canção faz parte da campanha nacional contra o trabalho infantil, realizada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), em parceria com a Organização Internacional do Trabalho, Justiça do Trabalho e Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil, que foi realizada durante o mês de junho para reforçar o combate ao trabalho infantil no Brasil, enfatizando os dados crescentes, principalmente durante a pandemia.

O clipe, desenvolvido em forma de ilustração, mostra em uma história, a diferença entre crianças que vivem em condições consideradas adequadas, onde o acesso a educação é regular e a infância é de fato vivida, e as crianças que tem o trabalho infantil como prioridade desde muito cedo e acabam crescendo com pesos que refletem de diretamente na história e futuro de cada uma.

Com o slogan “Covid-19: agora mais do que nunca, protejam crianças e adolescentes do trabalho infantil”, a campanha também trouxe 12 vídeos que contam história de adultos que vivenciaram o trabalho na infância e atualmente recebem os impactos negativos que essa fase trouxe, a série foi intitulada de “12 motivos para a eliminação do trabalho infantil” e está disponível nas redes sociais.

A desigualdade representada nas estatísticas

Em maioria, jovens pretos de periferia, que tem direito a vida plena, mas só conhece o que vivencia: Insegurança, violência e medo. Trabalho infantil é um crime e tem cor e endereço

Em um comunicado divulgado pelo Laboratório Fantasma pouco antes do lançamento de ‘Sementes’, Emicida disse que “A gente ficou imerso em um monte de dados a respeito do trabalho infantil e de como a situação da pandemia empurra uma série de famílias para as margens da sociedade. Pressionadas, essas famílias têm que colocar as crianças numa situação desumana. Mais uma vez, os abismos sociais, que a gente produz desde antes da pandemia vão se mostrando muito mais mortais do que a pandemia em si.”

Os dados sobre o trabalho infantil no Brasil seguem alarmantes, mas quando analisamos o cenário, a discrepância entre a quantidade de crianças e adolescentes negros traz uma preocupação ainda maior. Segundo dados divulgados pelo IBGE, grande parte das crianças que são submetidas ao trabalho infantil, são, respectivamente, negras. Para ilustrar ainda mais essa diferença, trouxemos alguns dados retirados de uma publicação do Tribunal Superior do Trabalho. Cerca de 2,4 milhões de crianças e adolescentes entre 5 e 17 anos trabalham no Brasil, segundo informações levantadas pelo IBGE no ano de 2016. Além disso, a partir desses dados, é destacado que aproximadamente 70,4% desse número, se referem a crianças e adolescentes negros.